Escaneamento intraoral: como implementar no seu consultório?

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

A odontologia digital aparece como uma vantagem competitiva em relação à concorrência. Nem todos os profissionais estão abertos à ampla gama de inovações que a tecnologia tem proporcionado. Nesse contexto, o escaneamento intraoral aparece como um dos recursos mais inteligentes e necessários para seu consultório.

O registro da arcada dentária por meio de imagens e fotos que podem ser ampliadas em até 60 vezes oferece mais conforto para o paciente, rapidez na entrega de resultados e maior perícia para o profissional. A técnica permite que um procedimento demorado agora tome, no máximo, cinco minutos do seu tempo.

aparelho de escaneamento intraoral

Mas como o escaneamento intraoral funciona? O que é necessário considerar na hora de implementá-lo no seu consultório? Confira as respostas neste post:

O que é escaneamento intraoral?

Escaneamento intraoral é técnica que usa câmeras para filmar, fotografar e digitalizar a arcada dentária do paciente. Em cinco minutos, o profissional tira todas as imagens necessárias para a criação de próteses. Não há necessidade de modelagens físicas, o escaneamento intraoral é colorido e pode ser ampliado. Além disso, a precisão desse tipo de exame é bem maior e os resultados são mais rápidos, justamente pela facilidade em captar as imagens.

A câmera é um fino tudo com constante fonte de luz que se rotaciona facilmente por dentro da boca, captando imagens até dos locais mais difíceis de alcançar.

Ao somar o escaneamento intraoral feito pela CAD/CAM e as simulações de modelagem no Digital Smile Design (DSD), os resultados são muito mais satisfatórios. O profissional usa as imagens retiradas, cria a prótese no software e já começa a fabricá-la usando uma fresadora, que cria a prótese em um bloco de porcelana. O equipamento também é capaz de fresar rapidamente materiais extremamente resistentes, como titânio e zircônia.

Como as imagens são em HD e podem ser ampliadas, a porcentagem de erros diminui consideravelmente. Com isso, o odontologista entrega um resultado melhor do que o esperado para o seu paciente.

Como implementar o escaneamento intraoral no seu consultório?

Veja o que fazer para aderir a essa tecnologia na sua clínica odontológica:

Planejamento financeiro

O aparelho para escaneamento intraoral não é barato, porém nota-se a efetividade do seu investimento em pouco tempo de uso. No entanto, o odontologista não deve observar apenas o custo do aparelho em si, e sim o gasto que terá durante o tempo de vida do aparelho. Algumas empresas cobram por uso, outras têm taxas anuais, mensais, de garantia e suporte.

Então, entre os equipamentos pesquisados, faça um cálculo estimando o custo inicial (preço) e os recorrentes do scanner (taxas e contratos de manutenção, por exemplo). Assim, é mais fácil perceber qual aparelho oferece o melhor custo-benefício.

É importante também testar todos os equipamentos. Os mais rápidos, de software intuitivo e fáceis de manusear devem ser considerados como principais opções. Na clínica, além dos muitos atendimentos, o dentista vive ocupado com inúmeras funções, portanto seu tempo é valioso.

Avaliação da estrutura física

Os equipamentos de escaneamento intraoral eliminam a necessidade de espaços físicos para armazenamento de moldeiras, materiais de moldagem e modelos de gesso. Com a aquisição do sistema CAD/CAM e um computador, o odontologista já tem em mãos um laboratório virtual, podendo registrar todos os procedimentos feitos em cada paciente.

O que pode exigir mais da estrutura física do seu consultório é o tipo de tratamento realizado com o scanner. O trabalho pode ser feito de três formas:

  • Chairside: todo o tratamento é realizado em uma única sessão. O odontologista realiza o escaneamento intraoral, desenho do projeto, fresagem, acabamento, polimento e cimentação adesiva;
  • Labside: moldagem convencional com aquisição dos modelos de trabalho, mas com a digitalização do registro de mordida. Nesse processo, o trabalho é feito com mais tempo e pode incluir maquiagem, cristalização, estratificação e ajustes finos;
  • Chair e labside: o odontologista trabalha com as duas formas. No entanto, para que isso seja possível, é necessário que o consultório tenha pelo menos um laboratório. Esse tipo de trabalho é ideal para casos de dentes anteriores complexos, implantes esplintados, periodonto inadequado e materiais que necessitam ir ao forno. 

Sensibilização e treinamento da equipe

Embora seja rápido, altamente intuitivo e eficaz, o escaneamento intraoral é uma tecnologia recente, e nem todos os profissionais estão familiarizados com esse trabalho. O uso do scanner intraoral para obter imagens precisas e, consequentemente, moldes adequados requer habilidade e experiência do operador.

É importante que a empresa fornecedora do aparelho treine um ou mais responsáveis pelo uso do scanner. Cursos, seminários com especialistas e prática constante deixarão a equipe afinada para o uso cotidiano do aparelho. Rapidamente, o equipamento se tornará essencial à rotina do consultório.

Outra vantagem é que, além de mais habilidades atribuídas à equipe, os profissionais podem conferir de perto a confecção das próteses.

Definição de fluxos de trabalho com a nova tecnologia

Dependendo do fluxo de trabalho do seu consultório, você pode ter o resultado de uma modelagem em horas. No entanto, o mais adequado é que todos os integrantes da equipe estejam familiarizados com a nova tecnologia. Assim, é mais fácil criar um revezamento, e os profissionais ganham novas habilidades.

Como o escaneamento é intuitivo e de rápida aprendizagem, em pouco tempo todos poderão manejar o scanner. Esse tipo de conhecimento também é necessário para agilizar o atendimento dos pacientes. Se apenas o odontologista souber como usá-lo, a consulta não será tão otimizada.

Novas tecnologias são imprescindíveis para atualizar seu consultório e levar o melhor atendimento ao paciente. O escaneamento intraoral é um desses recursos, mas sua aquisição deve ser bem pensada e estudada. Ao entender bem como ocorre seu funcionamento, o odontologista percebe como o equipamento é essencial para procedimentos de qualidade.

Entendeu o que deve ser considerado antes de implementar o escaneamento intraoral? Perceba que a tecnologia tem trazido diversos recursos essenciais para a área odontológica. Para entender melhor, veja agora como a Odontologia Digital vai transformar seu consultório!

Conheça os 7 passos para a Odontologia Digital

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho

DENTISTA SUAS REQUISIÇÕES ACABARAM?

Preencha o formulário abaixo:

Dentista solicite uma visita

Um representante entrará em contato para agendar uma visita.