Tomografia computadorizada no planejamento de implantes

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

 

A radiologia 3D, também conhecida como tomografia computadorizada, tem sido cada vez mais usada nos procedimentos odontológicos. Além de mais precisa que o exame convencional (2D), a exposição do paciente (e, consequentemente, do profissional) aos raios-X é menor. Com o avanço da tecnologia e a maior facilidade de acesso, hoje os exames tomográficos são muito mais acessíveis ― tanto na oferta de locais para o exame quanto no custo financeiro para sua realização.

Para alguns tratamentos, a radiologia 3D é indispensável. Hoje, além da Ortodontia, essa tecnologia é muito importante para a Implantodontia e para o planejamento de cirurgias. Neste post, você descobre como surgiu a tomografia computadorizada e quais são as suas vantagens no planejamento de implantes. Confira!

Como funciona a tomografia computadorizada?

A tomografia computadorizada é uma tecnologia não invasiva rápida e prática desenvolvida para o exame de estruturas do corpo da forma como as enxergamos: em três dimensões. Ela permite enxergar todas as estruturas em camadas, principalmente os tecidos mineralizados, com uma definição até então não proporcionada pela radiografia. As imagens são feitas por raios-X e processadas pelo computador.

Inicialmente, a tecnologia utilizada era a fan beam (FBCT), que utilizava um feixe em forma de leque. Esse tipo de tomografia produzia imagens em cortes axiais, que depois eram empilhadas e reconstruídas no computador, formando o 3D.

Além do alto custo, a tomografia fan beam também incidia uma alta dose de radiação no paciente, pois foi desenvolvida para o exame do corpo inteiro. Hoje, a tomografia computadorizada dentomaxilofacial é feita por feixe cônico (cone beam/CBCT), que obtém a imagem em forma de cilindro. A partir dela, é possível fazer cortes nos planos axial, sagital e coronal.

O aparelho de cone beam é semelhante ao de aparelhos raios-X para radiografias digitais panorâmicas. Os dois componentes principais, a fonte de radiação e o detector, ficam em polos distintos. Dependendo do aparelho, o paciente pode ser posicionado sentado, em pé ou em decúbito dorsal.

O aparelho faz um giro de 360° e cria imagens a cada grau; depois, envia toda a informação para um computador. O software permite a realização de reconstruções em 2D ou 3D e a retirada de estruturas indesejadas da imagem.

exame panorâmico de tomografia computadorizada de uma arcada dentária

Quais são as vantagens de utilizar a tomografia computadorizada no planejamento de implantes?

A radiologia 3D é de extrema importância para localizar estruturas e reconstruir imagens com excelente precisão, auxiliando profissionais da área da saúde no planejamento e tratamento dos pacientes.

Veja como a tomografia computadorizada faz toda a diferença para a Implantodontia:

Observação mais clara

A tomografia computadorizada permite a visualização de estruturas anatômicas em três dimensões. Com isso, há mais facilidade em compreender como estão os tecidos da arcada dentária e criar um implante adaptado àquela realidade.

Outra vantagem é que a radiologia 3D elimina a sobreposição de imagens. É possível observar as estruturas dentomaxilofaciais sem que haja confusão sobre o posicionamento de cada uma delas. Também é possível analisar o nível de reabsorção óssea em áreas desdentadas.

Por fim, quando compara-se à radiografia, o aparecimento de ruídos e distorções ― interferências eletrônicas, artefatos ou eventos aleatórios que interferem na qualidade e na visualização das estruturas ― é menor.

Cortes precisos

As imagens da tomografia computadorizada cone beam possibilitam cortes precisos do osso alveolar remanescente, além da mensuração da altura e espessura do tecido e as medidas específicas entre o osso e as estruturas vitais, como nervos, seio maxilar, forames lingual e mentual e fossa nasal.

Esse retrato fiel da arcada do paciente possibilita também a confecção de guias cirúrgicas, especialmente úteis em Implantodontia.

Menor exposição à radiação

Por ser mais preciso, o tempo de exposição aos raios-X é menor. Hoje, é possível reproduzir uma fatia em 0,5 a 1 segundo. O tempo total do exame varia de 10 a 70 segundos e o tempo de exposição vai de 6 a 7 segundos.

Cruzamento com outros formatos digitais

As imagens 3D obtidas com a tomografia computadorizada cone beam podem ser cruzadas com outros formatos de arquivos digitais, como fotografias 3D (obj) e modelos digitais (stl). Com isso, o odontologista obtém informações até então impensáveis com as tecnologias tradicionais.

Simulação da cirurgia

A tomografia computadorizada permite a simulação da cirurgia antes de sua realização. Com os softwares disponíveis hoje no mercado, o profissional de Odontologia tem nas mãos inúmeras possibilidades de simulações virtuais de tratamentos ortodônticos e cirúrgicos. Essa “pré-cirurgia” virtual evita possibilidade de erros.

Diminuição de complicações

O exame radiológico 3D evita parestesias causadas pela perfuração de osso cortical (que atinge o nervo alveolar inferior, forame mentoniano e canal incisivo) ou o mal posicionamento do implante no invólucro alveolar. Se ele for colocado em uma região sem volume ósseo circundante, não haverá estabilidade.

Conforto para o paciente

Por ser um exame rápido, não invasivo e feito em posições adequadas, a tomografia computadorizada não causa constrangimentos ao paciente.

Tendência odontológica

Diversos autores, como Parks (2000), apontam a tomografia computadorizada cone beam como uma tendência por suas inúmeras vantagens proporcionadas à Implantodontia. Com isso, a probabilidade do desenvolvimento constante da tecnologia é maior, o que eleva a qualidade desse exame essencial para um diagnóstico correto.

A tomografia computadorizada é utilizada para os mais diversos casos odontológicos: pacientes fissurados, com ausência congênita de dentes, que serão submetidos a cirurgias e que sofrem com outras patologias, por exemplo. Portanto, sua utilidade como exame complementar, hoje, é inquestionável.

No entanto, é necessário que seja feito por profissionais familiarizados com a tecnologia para a criação de imagens precisas, que serão de grande utilidade no planejamento de implantes.

Entendeu como a tomografia computadorizada é fundamental no planejamento de implantes? Para que o exame seja feito da melhor maneira possível, conte com profissionais especialistas e os equipamentos mais modernos de radiologia odontológica digital. Entre em contato com a DVI Radiologia e tire todas as suas dúvidas.

Conheça os 7 passos para a Odontologia Digital

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu

DENTISTA SUAS REQUISIÇÕES ACABARAM?

Preencha o formulário abaixo:

Dentista solicite uma visita

Um representante entrará em contato para agendar uma visita.