Cirurgia guiada em implantodontia revoluciona tratamentos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

O avanço da tecnologia tem proporcionado diversos benefícios para a Odontologia. Um dos mais importantes e revolucionários é a cirurgia guiada. Muito usada pela Medicina, agora tem também se mostrado útil aos cirurgiões-dentistas que procuram por procedimentos menos invasivos e mais confortáveis para os pacientes.

Revolucionária, a cirurgia guiada é uma novidade na Implantodontia, mas utiliza todos os instrumentos da versão convencional — o que muda é o procedimento. Ela vem como consequência de todo o avanço envolvido nos sistemas de obtenção de imagem (tomografias e scanners intraorais), softwares de planejamento e impressoras 3D.

Veja tudo sobre o assunto neste post:

O que é cirurgia guiada?

É um método minimamente invasivo de implantes dentários indicado tanto para os desdentados parciais quando para os totais. A cirurgia guiada não necessita de incisões (cortes com lâminas), descolamentos de fibromucosa e nem ao menos suturas, já que as perfurações são feitas apenas com a broca. Como consequência, o sangramento e o uso de medicamentos no pós-operatório são muito menores.

O guia cirúrgico é posicionado diretamente na mucosa, portanto, somente o tecido por onde passam os implantes é removido.

A cirurgia guiada conta com alto nível de previsibilidade porque todo o planejamento é feito com base em exames minuciosos. Imagens radiológicas (2D ou 3D), modelos de estudo, guias cirúrgicos e exame físico são fundamentais antes do procedimento.

Além disso, deve ser feito um planejamento detalhado da estrutura óssea do paciente e das angulações das implantações. Para tal, usa-se um guia cirúrgico em acrílico, estável e rígido, confeccionado para apenas aquela cirurgia.

A tomografia computadorizada permitiu a criação de biomodelos por meio da modelagem computacional, técnica que permite a simulação gráfica da colocação dos implantes e a fabricação de templates cirúrgicos.

Embora tenha mais de 3 décadas de existência, a cirurgia guiada foi aperfeiçoada com o uso da tomografia tridimensional e impressão em prototipagem do osso remanescente. Hoje, não é considerada só uma inovação, mas uma revolução na Odontologia.

Como a cirurgia guiada é feita?

Primeiramente, o profissional responsável planeja todo o procedimento em um modelo virtual 3D. Ele é feito com base em uma tomografia computadorizada da arcada dentária do paciente. Todas as imagens são enviadas para um software, que indica onde cada implante deve ser colocado. Ele permite que o profissional visualize, ao mesmo tempo,  três planos espaciais das estruturas ósseas e dentais que serão reabilitados.

Nesse mesmo software, o especialista começa a realizar o procedimento virtualmente e decide o local de inserção e qual o grau de inclinação de cada implante. Essa “pré-cirurgia” diminui o tempo de operação em até 50%.

Depois da simulação, confecciona-se um guia cirúrgico com base na arcada dentária do paciente e na simulação feita pelo computador. Ele conta com cilindros que limitam a profundidade e mantêm a orientação dos implantes corretamente, por isso é a maneira mais segura de fazer o procedimento.

Será no guia que o profissional vai fixar os análogos dos implantes para confecção do modelo de trabalho no qual será realizada a prótese temporária ou permanente. Durante a cirurgia, esses cilindros também servirão para suporte para os guias de brocas que orientam a correta posição e inclinação nas perfurações.

Como o diâmetro dos guias é o mesmo das brocas, a cirurgia guiada é extremamente precisa.

Como você viu, não há remoção ou incisões na fibromucosa. Na gengiva, são feitos pequenos furos com uma broca e inseridos  pinos de titânio, base dos implantes. Essa cirurgia é muito menos invasiva e, consequentemente, causa menos sangramento, dores e desconfortos, além de ter um tempo de recuperação menor.

Para você ter uma ideia, na cirurgia convencional o período de osseointegração (integração do pino de titânio com o osso) é de até três meses. Só depois disso o dente definitivo poderá ser colocado.

Tomografia computadorizada e software

A tomografia computadorizada tem papel fundamental na construção de biomodelos, protótipos e guias cirúrgicos. Ela também oferece a base para a simulação da cirurgia guiada.

No caso de um desdentado inferior, por exemplo, são realizadas duas TC, uma do paciente com a prótese total e outra apenas da prótese total. No software, é possível sobrepor as duas imagens e obter informações essenciais para a cirurgia, como espessura de gengiva, anatomia do osso, posição dos dentes e outros detalhes anatômicos.

Planejamento reverso

O planejamento reverso é outra técnica intrinsecamente ligada à cirurgia guiada.  Com o objetivo de proporcionar a melhor reabilitação do paciente, ela permite que o tratamento seja muito mais previsível porque planeja a reabilitação protética antes mesmo de se pensar nos implantes osseointegrados. Além disso, também visa ao melhor resultado estético.

Na cirurgia guiada, todo o procedimento é preparado considerando a posição da futura prótese. Dessa forma, os implantes são perfeitamente posicionados e o resultado é excelente. Tanto profissionais quanto pacientes saem satisfeitos da operação.

cirurgia guiada

Quais as vantagens da cirurgia guiada?

  • Possibilita que pacientes, antes contraindicados para o procedimento, possam operar;
  • o paciente pode voltar às suas atividades rotineiras em um menor intervalo de tempo;
  • pós-operatório tranquilo: dor, edema e inflamação são bastante reduzidos;
  • pacientes totalmente desdentados podem passar pelo procedimento;
  • satisfação dos pacientes acima da média;
  • procedimento minimamente invasivo;
  • a margem de erro é quase igual a 0%;
  • menos tempo de cirurgia;
  • menos sangramento;
  • alta previsibilidade;
  • segurança.

E quais as desvantagens?

  • Treinamento mínimo para se adaptar ao sistema eletrônico e a trabalhar em campo fechado;
  • impossibilidade de mudança de roteiro no meio da cirurgia.

Quais são as contraindicações?

A cirurgia guiada conta com poucas contraindicações:

  • Necessidade de extrações múltiplas com regularização óssea no momento da instalação dos implantes;
  • quantidade de osso insuficiente, com necessidade de enxerto antes dos implantes;
  • abertura restrita de boca.

A Odontologia brasileira é uma das mais avançadas do mundo. Com estudo e investimento em tecnologia, ela foi capaz de trazer a união entre praticidade, técnica e conforto para o paciente.

Além de altíssimo nível de precisão, a cirurgia guiada é mais rápida e proporciona um pós-operatório muito mais confortável para o paciente. Não deixe de oferecer esse procedimento em seu consultório para atrair e fidelizar seus pacientes.

Pronto para implementar a cirurgia guiada no seu escritório? O que achou da técnica? Deixe seu comentário no post!

Conheça os 7 passos para a Odontologia Digital

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu

DENTISTA SUAS REQUISIÇÕES ACABARAM?

Preencha o formulário abaixo:

Dentista solicite uma visita

Um representante entrará em contato para agendar uma visita.