O que é um fluxo digital na Radiologia?

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Você sabe o que é fluxo digital na Radiologia? Esse é um assunto bem interessante e atual, que certamente é útil para os profissionais da Odontologia. 

É sobre isso que falaremos neste artigo. Por isso, se tem interesse em aprender e saber mais sobre o tema, prossiga com a leitura!

Breve panorama sobre o fluxo digital na Radiologia

A radiologia tradicional foi usada por décadas pela Odontologia — aliás, foi testada 20 dias após o anúncio. 

No entanto, a revelação das imagens radiográficas e todo o andamento de trabalho eram bem mais lentos. Com o avanço da tecnologia e o escaneamento de exames, hoje podemos ter um fluxo digital na radiologia, que permite uma otimização muito melhor de todos os processos.

Você sabia que o fluxo digital na Radiologia permite até a visualização extremamente precisa do resultado de um tratamento? 

Essa é uma das vantagens desse tipo de trabalho. Embora alguns dentistas vejam a modernização dos exames como um custo desnecessário, ela traz muitos avanços aos consultórios — tanto de trabalho quanto no número de clientes.

Neste texto, você vai descobrir o que é fluxo digital na Radiologia e quais os benefícios que ele pode proporcionar ao seu consultório.

O que é fluxo digital na Radiologia?

O fluxo digital na Radiologia pode ser definido como o planejamento e a confecção de próteses dentárias usando equipamentos digitais. Todo o processo pode ser feito digitalmente, o que permite até a participação do paciente durante o desenvolvimento. 

Antigamente, todo o processo de um tratamento que incluía a criação de próteses, como o planejamento, era feito com modelos físicos. 

O odontologista usava uma moldeira com alginato para conseguir o molde (reprodução em negativo) da arcada dentária do paciente. Quando preenchido com gesso, tornava-se o modelo utilizado para a criação de próteses dentárias. 

Embora esse trabalho ainda seja adotado por muitas clínicas odontológicas, hoje o fluxo digital permite que ele seja feito com muito mais agilidade, economia e precisão. Isso porque, em vez de tirar um molde do paciente, cria-se um modelo 3D virtual com todas as características dele.

Conheça os equipamentos que permitem essa agilidade no tratamento.

Quais são os equipamentos que permitem essa agilidade no tratamento?

O fluxo digital na Radiologia apenas pode ocorrer com o auxílio de bons equipamentos e ferramentas. Elaboramos uma lista com os principais deles. Veja, na sequência!

CAD/CAM

É a abreviatura de computer aided design (desenho assistido por computador)/computer aided manufacturing (manufatura assistida por computador). Essa tecnologia é um composto de scanner intraoral com computador e fresagem, tudo em um mesmo aparelho. 

Nele, você consegue obter as imagens do paciente, criar um modelo 3D e enviar o comando para sua confecção em um bloco de material firme.

Como o CAD/CAM funciona?

O scanner intraoral capta imagens da arcada do paciente que podem ser aumentadas em até 60 vezes. Essas imagens servirão de base para a criação de um modelo digital feito em software (a tecnologia CAD). Assim que concluído, esse modelo vai se tornar um arquivo CAD, que logo será importado pelo software CAM.

O programa auxilia a comunicação do computador com ferramentas de manufatura. Portanto, será responsável por enviar à fresadeira o comando de produção da prótese. O equipamento começará a moldá-la em um material rígido — na maioria das vezes, resina.

Vale ressaltar que, embora sejam muito utilizados em conjunto, o CAD é um processo independente do CAM. Isso significa que o odontologista pode solicitar ao laboratório de Radiologia a captação de imagens e criação de modelos digitais sem, necessariamente, precisar confeccioná-los na hora. 

E a tradicional moldagem em resina? Não será necessária. Todo o trabalho é feito usando apenas as imagens captadas pelo scanner intraoral.

DSD

Digital Smile Design é o software utilizado para planejar virtualmente um tratamento e desenhar o resultado. Por sua precisão, foi responsável por revolucionar a odontologia estética. 

O mais interessante é que o DSD permite que o profissional trabalhe em conjunto com o paciente, e todos os envolvidos (equipe multidisciplinar e especialista responsável pela criação da prótese). Portanto, o resultado do trabalho será muito mais preciso: ele vai de acordo com o que a arcada dentária permite e com aquilo que o paciente deseja para seu sorriso.

Além disso, a comunicação entre os profissionais envolvidos pode ser feita apenas virtualmente, já que o software auxilia no fluxo de informações. 

Outra vantagem é que o DSD fez com que a estética tivesse a mesma importância que outros fatores, como a adaptação e o tamanho da prótese. Afinal, por mais que o objeto construído seja adequado ao paciente, de nada vai adiantar se não proporcionar um sorriso agradável. 

Tomografia computadorizada cone beam

Também responsável por revolucionar a radiografia odontológica, a tomografia de feixe cônico é um método rápido, seguro e eficaz para criar objetos tridimensionais usando como base radiografias do paciente.

O feixe sai do aparelho e dá um giro de 360º com o receptor de imagens, em formato cônico — por isso o nome da tecnologia. Em segundos, múltiplas projeções são captadas pelo aparelho. Com elas, o profissional obtém as informações necessárias para a criação de um modelo em 3D do paciente.

Além disso, também é possível obter reconstruções panorâmicas, cefalométricas e em 3D. 

As imagens podem ser arquivadas e compartilhadas na nuvem, sem necessidade de impressões.

Quais as vantagens do fluxo digital na Radiologia?

Rapidez, precisão e segurança são algumas das vantagens que a digitalização do fluxo de trabalho permite. Porém, os benefícios não se limitam a isso. Veja mais alguns!

Rapidez

O CAD/CAM permite que todos os processos de confecção de uma prótese possam ser feitos em apenas um dia.

Para os pacientes isso é muito interessante, tendo em vista que não será necessário comparecer várias vezes ao consultório odontológico para realizar o tratamento, por exemplo.

Precisão

Todo o fluxo digital é feito em imagens obtidas via scanner intraoral, sem distorções que interfiram a precisão do modelo confeccionado.

Dessa forma, é possível desenvolver próteses que sejam muito fidedignas às estruturas de cada paciente.

Sustentabilidade

Durante a confecção dos modelos digitais, você não utiliza elementos ou metais pesados que serão jogados fora rapidamente ou possam ser prejudiciais ao meio ambiente.

Isso é muito importante, até mesmo para melhorar a imagem da clínica odontológica. A equipe de comunicação do negócio pode usar essa informação para desenvolver o que chamamos de estratégias de marketing verde, por exemplo.

Segurança

A exposição aos raios-X é muito menor (tanto para o profissional quanto para o paciente) quando você adota o fluxo digital na Radiologia.

Sabemos que a exposição exagerada aos raios-X pode ser prejudicial à saúde das pessoas. Logo, reduzir esse período é algo muito vantajoso, principalmente para os profissionais, que realizam esse processo várias vezes em sua rotina.

Planejamento

Todo o trabalho pode ser planejado virtualmente, sem que seja necessário que todos os profissionais envolvidos ocupem o mesmo espaço físico, por exemplo.

Estética

O fluxo digital na Radiologia permite que você trabalhe a estética em conjunto com a estrutura e a adaptação da prótese.

De tal maneira, as próteses não têm apenas a finalidade funcional, mas também estética. Ou seja, o paciente ficará com um visual mais agradável e bonito no sorriso.

Economia

Ao adotar um fluxo digital na Radiologia, serão necessários menos gastos com moldeiras, alginato, gesso e outros aparatos.

Isso torna o processo mais barato para os dentistas e também para os pacientes, que poderão pagar preços mais acessíveis para os tratamentos. Logo, a demanda das clínicas aumenta.

Como é realizado o escaneamento do fluxo digital na radiologia?

O escaneamento do fluxo digital na Radiologia é realizado a partir de uma série de processos. 

Primeiramente é necessário realizar o registro virtual do paciente. Isso pode ser feito por meio do registro fotográfico ou vídeo da arcada dentária e face do usuário.

Em seguida, com um scanner intraoral ou de bancada, é realizado o registro da arcada dentária e do tecido gengival do paciente em 3D.

Na sequência, se realiza um registro de todas as estruturas da face, também utilizando um scanner. O processo gera imagens em 3D, que facilita a visualização dos profissionais envolvidos.

Finalmente, é realizada uma tomografia computadorizada, que registra toda a parte óssea e dentária em 3D dos pacientes.

Como é realizado o planejamento para esse processo?

Quando falamos em planejamento para o fluxo digital na Radiologia, é necessário ter em mente que cada tipo de processo depende de um ou mais tipos de registro de imagem.

Alguns pacientes necessitam fazer o escaneamento facial apenas, enquanto outros também demandam das tomografias. É o dentista quem deve observar cada caso.

Após a captura das imagens ser realizada, os arquivos são enviados para os softwares, em que se inicia o planejamento virtual.

Atualmente, no mercado, existem programas variados para realizar o planejamento virtual. Há plataformas pagas e com mais recursos e outras gratuitas, porém mais limitadas.

Quando o planejamento é finalizado, vamos para a etapa da fabricação. Ou seja, as imagens em 3D se tornam um produto físico. 

Para isso, podem ser utilizadas duas tecnologias, a fresagem ou a impressão 3D. A última, está ganhando cada vez mais notoriedade, tendo em vista a facilidade de uso.

Qual é o investimento necessário?

Contar com todos os recursos necessários para realizar o fluxo digital Radiológico pode ser bastante caro. Afinal, é preciso adquirir equipamentos e as licenças dos softwares que proporcionam a realização do trabalho.

Uma maneira de conseguir realizar esse processo sem gastar muito dinheiro é terceirizar o serviço. Para isso, convém pesquisar e buscar por um parceiro estratégico.

A DVI Radiologia oferece serviços que auxiliam na realização do fluxo digital na Radiologia. Em nosso site, apresentamos os principais deles. Acesse agora mesmo e veja como podemos ajudá-lo a ter mais lucratividade na sua clínica!

Entendeu como o fluxo digital na Radiologia é capaz de modernizar seu consultório? Se você quer entender mais sobre Odontologia e o importante papel da Radiologia nessa área, assine a newsletter da DVI Radiologia!

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário