Moldagem digital e manuseio de modelos digitais: o futuro da Odontologia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Muito usada por dentistas até hoje, a moldeira é  um elemento essencial para a rotina odontológica, mas também um dos objetos mais desagradáveis para o paciente. Além de incômoda, ela costuma provocar náuseas nos pacientes mais sensíveis e deixa resíduos na arcada dentária difíceis de tirar. O desenvolvimento da moldagem digital veio para trazer um processo mais confortável, higiênico e otimizado tanto para o profissional quanto para seu público.

A possibilidade de digitalizar modelos digitais sempre foi uma busca da Odontologia. Hoje, ela não só está disponível, como também é de fácil acesso aos profissionais de Odontologia. Além da rapidez no processo e no conforto para o paciente, a moldagem digital proporciona economia de recursos materiais e de espaço.

Você já pensou em adotar moldagens digitais na sua clínica odontológica? Conheça mais sobre o assunto e veja como adotá-lo.

O que é moldagem digital?

É a obtenção de um modelo digital da arcada dentária do paciente, sem a necessidade de moldeiras físicas. 

Desde o desenvolvimento do primeiro scanner digital para facilitar a criação de moldagens, engenheiros investiram na tecnologia e desenvolveram aparelhos cada vez mais amigáveis e de uso confortável tanto para o profissional quanto para o paciente. Isso porque a tecnologia revolucionou a produção e proporcionou economia de tempo, espaço e recursos.

Copiar toda a arcada dentária de um indivíduo de maneira precisa e fácil de visualizar é o objetivo da moldagem na Odontologia. Por isso mesmo, a moldagem física, com o uso de moldeira e gesso, foi essencial para inúmeros diagnósticos e tratamentos, além de auxiliar para acompanhar a evolução do tratamento.

Como a moldagem evoluiu até chegar ao modelo digital?

A moldagem que conhecemos hoje, com elastômeros e modelos de gesso, teve seu início em 1937. O primeiro elastômero criado para uso exclusivo em Odontologia foi o Impregum, introduzido pela empresa ESPE em 1965.

>>>  Leia também: Como a tecnologia 3D revolucionou o diagnóstico por imagem.

Por sua utilização há 82 anos, muitos odontologistas são resistentes ao uso da tecnologia digital. Afinal, se a moldagem física traz resultados efetivos há tantas décadas, não há necessidade de mudá-la.

moldagem digital

No entanto, a moldagem digital tem sido desenvolvida e foi introduzida no mercado na década de 1980. Hoje, um dos sistemas mais conhecidos é o CAD/CAM (Computer Aided Design /Computer Aided Manufacture) , que é capaz de fazer o escaneamento completo da boca em poucos segundos. Mas, além disso, ele também consegue mandar todos esses dados da moldagem digital para a produção de restaurações em blocos de cerâmica ou resina. Tudo isso sem a necessidade de uma cópia física em gesso.

Além dele, há também o sistema de moldagem digital tridimensional (3D) dedicado. Ele elimina várias etapas de atendimento em um consultório odontológico, pois as restaurações finais são produzidas em modelos criados a partir de dados dos escaneamentos digitais, ao invés de em modelos de gesso feitos a partir de moldagens físicas.

Como a moldagem digital funciona?

É simples: o profissional utiliza um aparelho de scanner digital para adquirir imagens da arcada dentária do paciente. Ele consegue tirar imagens que podem ser ampliadas em até 60 vezes. Além disso, elas não apresentam ruídos nem distorções, o que deixa suas imagens muito mais precisas.

>>> Veja também: Implantes e próteses dentárias: o que o futuro reserva.

Essas imagens capturadas vão para um software, que vai construir uma moldagem digital da arcada dentária do paciente. Pela qualidade das fotos, o modelo consegue um nível de qualidade, previsibilidade e previsão até então nunca alcançados.

Nessa moldagem digital, o profissional poderá criar próteses e escolher tratamentos específicos para o paciente. 

Quais as vantagens da moldagem digital na Odontologia?

Veja com mais detalhes os benefícios que a moldagem digital pode proporcionar ao seu consultório:

Mais conforto

Enquanto a moldagem física exige do paciente o uso de uma moldeira, a digital obtém todas as imagens em menos de um minuto. Nada de desconforto, substâncias difíceis de retirar dos dentes e a boca aberta por muito tempo, que pode causar náuseas em pessoas mais sensíveis.

Economia de tempo

Como você viu, assim que o modelo de prótese fica pronto na moldagem digital, você pode enviar o comando para a fresadeira, que vai criar o implante instantaneamente. 

Economia de recursos 

Você não precisará gastar exageradamente com gesso, resina e outras substâncias. Além disso, a moldagem física exige espaço para guardar os modelos físicos e todo o material para retirar o molde.

Precisão

A moldagem digital não exige a colação de uma moldeira entre os dentes superiores e inferiores. Com isso, reduz-se reduz significativamente o risco de uma relação interoclusal inadequada.

Sustentabilidade

Com o uso de recursos quase que totalmente digitais, você diminui consideravelmente o uso de substâncias tóxicas para o meio ambiente. 

Rapidez

Ao eliminar o processo de moldagens convencionais, você não precisa se preocupar com erros causados pelo aparecimento de bolhas de ar, ruptura dos materiais de moldagem, deslocamento e movimentação da moldeira, falta de materiais, adesivo de moldagem inadequado, ou distorção causada pela desinfecção.

Previsibilidade

A integração entre modelos com imagens digitais obtidas por tomografias do tipo Cone-Beam facilita muito o diagnóstico e planejamento de casos mais complexos. Além disso, a necessidade de retrabalhos é praticamente inexistente, já que tudo é feito numa cópia quase idêntica de todos os detalhes da sua arca dentária.

Estética

Um dos problemas causados pela moldagem física é que o profissional não conseguia, por exemplo, se basear na cor dos dentes do paciente. Com isso, muito da beleza da prótese se perdia. 

Com a moldagem digital, você também conta com detalhes de cor de toda a arcada dentária. Além disso, o próprio paciente pode palpitar no resultado do modelo digital de prótese. Assim, você faz um trabalho em que todos saem satisfeitos, e a chance de ter um resultado além do desejado é muito maior.

Entendeu como a moldagem digital pode fazer toda a diferença em seu consultório? Para receber mais novidades sobre Odontologia e Radiologia Odontológica, assine a newsletter da DVI Radiologia no rodapé.

Conheça os 7 passos para a Odontologia Digital

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta

Fechar Menu

DENTISTA SUAS REQUISIÇÕES ACABARAM?

Preencha o formulário abaixo:

Dentista solicite uma visita

Um representante entrará em contato para agendar uma visita.