Humanização na Odontopediatria: entenda o que é

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Humanizar a Medicina e os serviços de saúde em geral é essencial. Ao fazer o atendimento, o profissional precisa entender não só a doença, mas o indivíduo — seus medos, receios, inseguranças e comportamentos. E quando o paciente é uma criança, isso é ainda mais importante. Infelizmente, a humanização na Odontopediatria ainda não é uma realidade em muitos consultórios.

Humanizar é conquistar a confiança do seu paciente, principalmente quando se trata de uma criança. Neste texto, você vai entender o que é humanização na Odontopediatria. Confira!

O que é humanização na Odontopediatria?

É a união de técnica profissional e empatia. Em geral, é muito comum ter medo do dentista: um indivíduo desconhecido começa a examinar toda a cavidade oral com objetos gélidos. O paciente, por sua vez, precisa ficar com a boca aberta por um bom tempo. É um estado de vulnerabilidade que pode ficar ainda maior, dependendo de um tratamento. De repente, quem se considerava saudável descobre que vai precisar de uma extração dentária.

Para a criança, isso pode ser ainda pior. Além do indivíduo desconhecido, o ambiente branco, o barulho do motor e o fato de ter que ficar parado em uma cadeira o deixa ainda mais apavorado. Mas se o odontologista não tiver isso em mente, acaba perdendo a chance de criar empatia com o pequeno paciente.

Atendimento mecanizado

Quando uma tarefa é feita repentinamente, ela tende a se tornar “automática”: o cérebro já está tão acostumado a fazê-la que, para torná-la mais rápida, acaba transformando-a em algo mecânico ou fabril, desumanizado. Mas esse comportamento pode arruinar a relação odontopediatra-paciente.

Provavelmente você já ouviu inúmeras reclamações de indivíduos dizendo que o médico deu um diagnóstico sem mal olhar para o rosto do paciente. Embora o dentista lide diretamente com a face do paciente, esse problema também pode acontecer aqui — ele se preocupa tanto com a parte (boca) que se esquece do todo (indivíduo).

Fato é que se um adulto já tende a temer o dentista, para uma criança é ainda pior. Mas quando ela vai ao consultório, precisa ser acolhida independentemente do seu humor. A humanização na Odontopediatria oferece um atendimento sensibilizado, em que o profissional entende as inseguranças e medos dos pequenos, criando empatia e uma relação de confiança.

O odontologista também é um ser humano. A criança, portanto, precisa ter essa percepção.

Como proporcionar humanização na Odontopediatria?

humanização na odontopediatria

Se você atende crianças, sabe como elas precisam de atenção e empatia. Então, veja como oferecer a elas um atendimento ainda mais humanizado:

Converse

A humanização na Odontopediatria tem o objetivo minimizar o desconforto que as crianças sentem ao chegar no consultório. Então, a abordagem faz toda a diferença. Explique o tratamento para a criança: não é só o adulto quem precisa entender o que está acontecendo. Afinal, todos os procedimentos serão feitos na arcada dentária do pequeno.

Essa conversa pode vir acompanhada de livros, ilustrações divertidas, historinhas e outros tipos de abordagem que facilitem a linguagem odontológica para a criança.

Outra dica importante é falar na altura dela: quando possível, converse olhando no olho para que ela se sinta mais segura. 

Não assuste

É essencial explicar para a criança a importância de se escovar os dentes para que os “bichinhos chatinhos não façam buraquinhos” nos dentes dela. Mas há maneiras diferentes de abordar esse assunto: a ameaça e o reforço positivo.

Em muitos casos, pais e profissionais falam que se a criança não fizer o tratamento, os dentes dela vão cair, ela vai passar vergonha na escola, não vai ter mais amigos. Assustar não é a solução. Isso só cria indivíduos inseguros, o que afeta a autoestima dela.

Obviamente, é importante alertar que a falta de cuidados vai fazer com que apareçam cáries e dores. Mas, em vez de assustá-la, é melhor falar que o tratamento fará com que o sorriso dela fique mais bonito e o hálito melhor. Além disso, os dentes são ligados ao corpo como um todo: quando a boca está saudável, ele evita doenças.

Prepare o consultório

Uma clínica que lida com Odontopediatria precisa ter uma equipe preparada para lidar com crianças. Afinal, o bom relacionamento começa assim que o paciente tem o primeiro contato com seu consultório. 

Além disso, tenha recursos lúdicos: uma sala de espera com livros e gibis, cores e desenhos. Leve esses recursos para dentro do consultório e use também um jaleco colorido.

No final da consulta, ofereça um reforço positivo: um adesivo, um kit de higiene bucal ou um desenho, por exemplo, farão com que ela entenda que não precisa temer o odontologista.

A humanização na Odontopediatria é crucial para o sucesso do atendimento. Mas, para evitar problemas, os cuidados devem vir logo nos primeiros meses de vida. Entenda como aparece a cárie precoce na infância.

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta