Modelos prototipados na Odontologia: o que são?

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Antes de se lançar um produto no mercado, é preciso ter ideia de como ficará o resultado. Afinal, uma empresa não pode saber como o produto vai ficar apenas quando ele já estiver à venda. Aliás, um mesmo item pode ter diversos protótipos antes de chegar ao objetivo desejado. Mas isso não acontece só na indústria — os modelos prototipados na Odontologia andam cada vez mais comuns.

Mas modelar seria industrializar o trabalho do dentista? Não, é exatamente o contrário: na Odontologia, os modelos prototipados ajudam a trazer um resultado mais preciso e otimizar o tratamento, evitando retrabalhos.

Quer saber mais sobre o assunto? Neste texto, vamos saber mais sobre modelos prototipados na Odontologia. Continue a leitura:

O que são modelos prototipados na Odontologia?

Na engenharia, são peças únicas fabricadas a partir das especificações de um projeto, com o objetivo de testagem antes da produção industrial.

Já na Odontologia, é a criação de um modelo, um “projeto”, para que o profissional tenha ideia de como será o resultado de um tratamento. Ele também serve para que o profissional trabalhe em cima e tenha ideia de como deve seguir um procedimento. Por exemplo: um profissional pode usar um modelo 3D da arcada dentária de um paciente para simular o que gostaria de fazer durante uma cirurgia.

Antes, esse protótipo era feito com materiais reais, como na moldagem. Por exemplo: colocar uma prótese na peça de gesso era uma espécie de modelo prototipado. No entanto, atualmente faz-se todo o trabalho digitalmente, e com muito mais agilidade. Por isso, chama-se muitas vezes a técnica de prototipagem rápida.

Para isso, o profissional de Radiologia coloca o paciente em um aparelho de tomografia computadorizada (TC), radiografias ou usando um scanner intraoral. Os dados impressos são armazenados no computador e renderizados em um modelo 3D digital no formato STL (Structured Triangular Language). Depois, envia-se todo esse material para uma impressora 3D, que pode criar a estrutura jateando camadas de um fotopolímero líquido polimerizável ou modelando um bloco de material rígido (como ocorre no sistema CAD/CAM). 

Como resultado, o protótipo é totalmente fiel ao que foi trabalhado e renderizado no computador.

Imagens

Para a criação dos modelos prototipados, as melhores imagens são:

  • axiais: são as denominadas puras ou originais, por serem as obtidas pelo tomógrafo, com cortes que variam de 0,1 a 2 mm de espessura;
  • panorâmicas: criadas no software a partir das imagens axiais, têm cortes de 0,25 mm de espessura;
  • transversais: também criadas usando as axiais, têm cortes de 0,25 mm de espessura e até 0,5 mm de espaçamento entre eles.

Softwares

Além de recriar as imagens em projetos 3D digitais, os softwares permitem simular a colocação de implantes, medir e localizar estruturas anatômicas, avaliar densidade óssea e até visualizar o planejamento em 3 cortes

Quando o profissional pode usar modelos prototipados na Odontologia?

Veja quais os procedimentos mais indicados para o uso de protótipos:

Uma indicação importante para o uso de modelos prototipados na Odontologia é na análise de caninos maxilares impactados. O planejamento de uma cirurgia para esse caso é desafiador, já que imagens  2D exigem que o ortodontista tenha que usar a imaginação para visualizar o problema com mais detalhes, enquanto o 3D é examinado em monitores 2D, que também dificultam a percepção.

Quais as vantagens dos modelos prototipados em Odontologia?

modelos prototipados na Odontologia

Veja como os modelos prototipados ajudam na rotina odontológica:

Precisão e segurança

Um modelo prototipado de uma arcada dentária permite que o odontologista analise, em detalhes e tamanho real, toda a anatomia e os problemas que ela apresenta. Isso porque ele consegue definir o melhor tratamento baseado nas características mais próximas da realidade do indivíduo. Dessa forma, consegue desenvolver um projeto que atenderá suas necessidades.

Além do mais, o modelo pode ser manuseado de diversas maneiras, proporcionando melhor visualização.

Segurança

E como o modelo é uma projeção fiel à anatomia do paciente, o profissional de Odontologia também pode planejar uma cirurgia com mais cautela, já que pode exercitar o procedimento em cima dele. Consequentemente, minimiza as chances de complicações e erros.

Rapidez

A coleta de imagens para a criação do modelo prototipado pode ser feita em segundos. Além disso, usar recursos digitais e uma impressora 3D também permite que a confecção do projeto seja muito mais rápida. Portanto, o paciente precisa de menos consultas para o tratamento, e o odontologista de menos tempo para a criação do protótipo.

Estética superior

Como dito, a reprodutibilidade da impressora 3D permite recriar com imensa precisão tudo o que foi renderizado e desenvolvido no computador. Dessa forma, o profissional cria tratamentos mais adequados à anatomia do paciente. Isso permite que os resultados sejam mais de acordo com a preferência de ambos.

As próteses confeccionadas pela impressora, por exemplo, têm uma estética idêntica a dos dentes naturais. 

Fidelização

Essa melhoria visual, aliada à rapidez em todo o processo, proporciona um resultado muitas vezes melhor do que o esperado pelo paciente. Como consequência, traz mais credibilidade ao profissional e fideliza o público, além de atrair novos pacientes por meio da indicação dos clientes satisfeitos.

Análise

Em um estudo com 20 ortodontistas em Brasília que analisavam casos de caninos maxilares impactados, o diagnóstico tendia a ser mais severo quando observado apenas em exames convencionais. À medida que o profissional entende o caso, a tendência a julgá-lo como menos severo também aumenta.

Pronto para adotar modelos prototipados no seus procedimentos? Então, para mais novidades em Odontologia e Radiologia Odontológica, assine a newsletter da DVI.

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta