Especialização em Periodontia: saiba tudo o que precisa

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Estudar e se qualificar são fatores importantes em qualquer profissão. Na Odontologia, há diversas expertises que o profissional pode escolher para oferecer um tratamento especializado ao paciente. Nesse contexto, a especialização em Periodontia é uma das mais importantes e populares, já que lida tanto com a saúde quanto com a estética bucal. 

Se você está no início de carreira, precisa conhecer as diferentes especialidades em Odontologia para decidir qual caminho seguir. Conheça, então, a especialização em Periodontia:

Qual a importância da especialização em Periodontia?

Periodontia é uma área da Odontologia voltada para a saúde das gengivas, região tão importante quanto os dentes, mas muito ignorada pelos pacientes no geral. 

A gengiva é fundamental para a sustentação dos dentes; é ela quem proporciona o suporte para que possamos falar, mastigar e morder. No entanto, a placa bacteriana, que se aloja entre ela e o dente, continua sendo um problema comum. Segundo pesquisa do Datafolha encomendada pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) em 2016, apenas 57% dos brasileiros utilizam o fio dental — 30% utilizam mais de uma vez ao dia e 17% usam uma vez.

O problema é que o acúmulo de placa bacteriana pode evoluir para outros problemas, como gengivite e periodontite.

Gengivite

É a inflamação das gengivas, muitas vezes causada pela evolução da placa bacteriana ao tártaro. Parece algo inocente de início, mas ela complica não só a saúde bucal, como pode acarretar outros problemas, inclusive cardíacos. 

A gengivite é uma infecção causada por bactérias, que podem entrar na corrente sanguínea e causar complicações ainda mais sérias, como problemas cardíacos e acidente vascular cerebral. Um estudo publicado em 2018 revelou que indivíduos que frequentam o dentista com frequência tiveram metade do risco de AVC em relação àqueles que não recebem cuidados odontológicos regulares.

Periodontite

É o agravamento da gengivite — quando as bactérias causam a destruição progressiva dos tecidos de suporte dos dentes, principalmente de sua raiz. Nesse caso, a inflamação evolui para a formação de bolsas  no local, que favorecem a destruição dos tecidos e o abscesso dentário. 

Consequentemente, podem surgir as endocardites (quando a bactéria atinge a corrente sanguínea e causa infecção nas válvulas do coração) e perda dos dentes. A relação entre doença periodontal e infarto do miocárdio é algo já bem estabelecido no meio médico.

O periodontista ajuda o paciente a não só cuidar do seu sorriso, mas de sua saúde por completo.

Como é a especialização em Periodontia?

Especialização em periodontia

Para trabalhar com Periodontia, o indivíduo precisa se formar em Odontologia, registrar-se no Conselho Regional de Odontologia (CRO) de seu estado e cursar uma especialização na área. 

No entanto, não pode ser qualquer curso: ele precisa ser reconhecido pelo MEC e ter carga horária mínima de 750 horas de estudo — regra estabelecida pelo CFO.

Após o término do curso, o profissional precisa ainda fazer um novo registro no CRO — mas agora como especialista em Periodontia.

Além de cuidar da gengiva, o estudante de Periodontia aprende a realizar os diferentes tipos de cirurgias periodontais e de implantodontia, incluindo cirurgia plástica, instalação de implantes e reconstrução dos defeitos ósseos.

Como é o mercado de trabalho em Periodontia?

Segundo levantamento do CFO, a Periodontia é a quinta especialidade odontológica com mais cirurgiões-dentistas no Brasil (10.114), atrás apenas de Ortodontia (28.242), Implantodontia (16.849), Endodontia (16.481) e Prótese Dentária (12.397). Apesar do grande número, o mercado é grande e o desemprego na área é baixo, já que a demanda é alta.

O periodontista é muito requisitado por um simples motivo: os odontologistas costumam encaminhar o paciente ao profissional antes de qualquer procedimento. Isso porque, independentemente do tipo de intervenção, o tecido gengival precisa estar saudável.

Portanto, o periodontista será solicitado para verificar desde a saúde bucal do paciente até para realizar tratamentos de gengivite e periodontite.

Outro detalhe importante é que a maior parte dos profissionais se concentra na região Sudeste. Portanto, oportunidades melhores podem estar no interior ou em locais mais afastados, com corpo de trabalho qualificado mais escasso.

Quais os ganhos aproximados?

Segundo o site Salario.com.br, que traz uma estimativa com base nos valores de todo o Brasil, um periodontista recebe, em média, R$ 3.419,13 por 22 horas semanais de trabalho. O piso salarial fica entre R$ 3.120,61, enquanto o teto é de R$ 5.661,62, levando em conta profissionais com carteira assinada em regime CLT.

Já o Vagas.com traz dados mais otimistas: o site afirma que o profissional começa recebendo R$ 3.500 e pode vir a ganhar até R$ 6.490. A média salarial, nesse caso, seria de R$ 5.177.

Pronto para investir em uma especialização em Odontologia? Então, compartilhe este texto em suas redes sociais e ajude outros profissionais em início de carreira!

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe uma resposta