Como escolher um plano odontológico

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Ter um plano odontológico é muito interessante para pessoas de todas as idades. Afinal, todos devem cuidar da saúde bucal e quando se tem um convênio isso fica bem mais barato, tendo em vista que você não precisará pagar pelos valores totais dos tratamentos.

Ao ter um plano odontológico, você terá a possibilidade de se consultar com mais frequência com o seu dentista. Além disso, poderá fazer exames preventivos, usar aparelho ortodôntico e ter a certeza de que a sua saúde bucal e a da sua família, estarão sempre em dia.

6 dicas para escolher um bom plano odontológico

plano-odontológico

Contratar um plano odontológico é bem interessante. Porém, é preciso ter um certo cuidado ao fazer a escolha do convênio! Existem alguns detalhes que devem ser verificados antes de fazer a assinatura do contrato.

A ideia é que você garanta que o plano que deseja adquirir realmente é eficiente e conta com todos os recursos que você necessita. Veja, a seguir, algumas dicas para fazer a melhor escolha.

1. Analise a cobertura do plano

Ao escolher o plano odontológico, é importante que você analise a cobertura que ele oferece. Uma boa prática é analisar se ele cobre todos os procedimentos que são considerados básicos pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Esse órgão desenvolveu uma lista com mais de 80 procedimentos que devem ser incluídos nos planos de saúde odontológicos. Entre eles estão o tratamento de canal, as restaurações de cáries, a profilaxia dental, os exames radiológicos, os atendimentos de emergência, entre outros.

Caso julgue interessante, também pode contratar um plano com valor um pouco mais elevado, mas que inclua outros serviços, como os de origem estética. Dessa forma, poderá fazer clareamentos e usar aparelhos ortodônticos, para ficar com um sorriso muito mais bonito e saudável.

2. Observe os prazos de carência

Assim como acontece com os planos de saúde, ao contratar um convênio odontológico, também existem prazos de carência e eles devem ser analisados antes de você fazer a contratação.

Geralmente os planos odontológicos trabalham com prazos de carência de 24 horas para atendimentos emergenciais e consultas com o dentista. Já os procedimentos mais complexos, como a colocação de próteses, podem levar até 180 dias.

Convém analisar as opções disponíveis e optar pelos planos que têm menos tempo de carência. Dessa forma, você pode aproveitar ao máximo a cobertura, assim que começar a pagar as suas mensalidades.

3. Estude os valores cobrados

É interessante que você faça uma pesquisa para analisar os valores cobrados pelas operadoras de plano odontológico. De tal maneira, conseguirá descobrir planos que garantem serviços de qualidade e com um valor acessível. 

Considere também a gama de serviços que o plano de saúde oferece! Muitas vezes o valor pode ser baixo, mas a cobertura ser restrita ou os prazos de carência muito grandes. Coloque tudo na ponta do lápis e garanta mais resultados positivos.

4. Verifique a área de cobertura do convênio

Também verifique a área de cobertura do convênio. Geralmente, os planos odontológicos oferecem coberturas regionais ou nacionais. Por isso, analise se a sua cidade ou região tem alguma clínica credenciada.

De nada adianta você pagar um bom preço pelo plano e ter que fazer um deslocamento muito grande para ir até a clínica credenciada mais próxima, quando precisar de um atendimento.

Lembre-se que, em situações de emergência, você precisa chegar o mais breve possível para ser atendido e ter o seu problema solucionado pelo dentista. Por isso, convém que haja clínicas conveniadas nas proximidades da sua residência.

5. Veja se é possível incluir dependentes 

Os planos de saúde odontológicos podem ser individuais ou para grupos familiares. Dessa forma, em alguns casos, você poderá colocar o seu cônjuge e os seus filhos como dependentes.

Além disso, existem alguns planos que possibilitam colocar outras pessoas da família como dependentes, como pais, tios, sobrinhos etc. Convém pesquisar sobre isso e conversar com os seus familiares, para dividir valores e tornar a mensalidade mais acessível para todos.

6. Pesquise sobre os programas de prevenção que o plano oferece

Outro ponto que você pode analisar antes de contratar um plano odontológico é a realização ou não de programas de prevenção. Existem opções em que você poderá fazer atendimentos programados a cada seis meses, por exemplo, para fazer limpezas e um exame preventivo geral.

Ao realizar essa prevenção, você poderá detectar problemas, como cáries, ainda no início, evitando que os problemas se agravem e fiquem mais difíceis de serem tratados.

Essas são as nossas dicas para que você possa escolher um bom plano odontológico para você e sua família. Esperamos que elas sejam úteis para que possa fazer a melhor escolha e, dessa forma, garantir a sua saúde bucal.

Este artigo foi útil para você? Ficou com alguma dúvida sobre como escolher um plano odontológico? Conte para a gente no espaço para comentários, logo abaixo!

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário