5 principais causas de dor no maxilar

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

A dor no maxilar é uma das queixas mais comuns de serem feitas nos consultórios de odontologia. Esse problema causa um desconforto muito grande nos pacientes, que relatam dificuldades para falar, mastigar e bocejar.

Como essas são ações fundamentais para o seu humano, é importante buscar o melhor tratamento, o mais breve possível.

Para isso, no entanto, o dentista precisa identificar qual é a causa da dor no maxilar. Afinal, não existe um único motivo para que esse problema ocorra. A realização de exames, portanto, é quase sempre necessária.

Veja quais são as 5 principais causas de dor no maxilar

A seguir, apresentaremos algumas das principais causas de dor no maxilar. Siga a leitura e veja quais são elas!

dor no maxilar

1. Bruxismo

O bruxismo consiste no ato de ranger e apertar os dentes de forma involuntária, exercendo uma grande pressão na articulação temporomandibular ou ATM.

Se não for tratado, o bruxismo pode causar inflamações dos nervos da região, deixando-a frouxa ou desgastada. Isso faz com que os dentes fiquem desalinhados e sobrecarreguem a ATM, que é uma das articulações do local.

De tal maneira, o bruxismo pode ser uma das causas da dor no maxilar. Nesse caso, para parar o desconforto, é necessário realizar tratamentos, como o uso de protetores bucais.

O dentista também pode propor a prática de exercícios ou a confecção de placas que ajudam a tornar a pressão exercida sobre os dentes mais leve.

Como o bruxismo é uma doença com fundo emocional, também pode ser necessário que o paciente busque auxílio de um psicólogo ou psiquiatra para atuar juntamente com o dentista na solução desse problema.

2. Doença periodontal

A inflamação que ocorre nas gengivas e nos ossos que suportam os dentes é chamada de doença periodontal. O problema acontece por conta de bactérias e abcessos que podem atingir a articulação temporomandibular, o  que causa a dor no maxilar.

Como essa doença é silenciosa, as dores começam a acontecer quando ela já está em estágio avançado. Logo, é importante estar sempre cuidando da sua saúde bucal para identificar esses problemas ainda no início. Dessa maneira, você evita que eles se tornem mais graves.

Nessas situações, o tratamento da doença é feito por meio da raspagem das camadas mais profundas da gengiva. Além disso, o dentista também pode receitar medicamentos para aliviar a dor.

3. Mordida cruzada

A mordida cruzada ocorre quando os dentes não se encaixam perfeitamente. Por conta dessa má formação, as pessoas que têm esse problema tendem a esticar ou relaxar as articulações de forma adequada.

É isso que faz com que a dor no maxilar ocorra. Por isso, quem tem esse problema, deve buscar tratamento, que pode ser realizado com o uso de aparelho ortodôntico. 

4. Abcessos dentários

Os abcessos dentários são resultados de cáries que não são devidamente tratadas. Ou seja, as inflamações ocorrem nas camadas mais profundas da polpa e do nervo dos dentes.

Quando isso acontece, as bactérias se infiltram na parte interna dos dentes, podendo chegar na estrutura óssea. Isso faz com que ocorra muita dor no maxilar.

O tratamento de canal é recomendado na maioria desses casos e o cirurgião dentista deve avaliar essa necessidade, conforme a situação de cada paciente.

5. Osteomielite

Se dá o nome de osteomielite a uma infecção que pode se instalar nos ossos da mandíbula, fazendo com que a ATM seja impactada. Isso, além de dor no maxilar, também causa febre e inchaço na face.

Essa doença é combatida com o uso de antibióticos, que devem ser receitados pelo dentista ou médico. Em alguns casos mais graves, pode ser necessário fazer cirurgia para remover os tecidos mais inflamados.

Saiba que exames realizar para identificar a causa da dor no maxilar

Quando o paciente chega no consultório se queixando de dor no maxilar, a primeira coisa que o profissional deve fazer é um exame clínico apurado.

É necessário checar todas as condições da saúde bucal do paciente, para que se possa identificar ou descartar possíveis causas do desconforto.

Em situações em que o dentista não consegue identificar o problema no exame clínico, podem ser solicitadas avaliações por imagem. 

A ressonância magnética é um dos exames mais solicitados, tendo em vista que possibilita o estudo da ATM e das anormalidades dos tecidos moles.

Além disso, a ressonância magnética é o único exame que permite a visualização do disco auxiliar e dos tecidos moles circunjacentes. É por conta disso que ele é muito solicitado em situações como essa.

Para o dentista, contar com parceiros estratégicos, como clínicas de radiologia odontológica de qualidade, é essencial nesse momento. Isso porque, dessa maneira, se consegue diagnosticar os pacientes com agilidade e qualidade, propondo o tratamento mais adequado para cada tipo de situação.

É importante que pacientes e dentistas entendam sobre as causas da dor de maxilar. Somente assim será possível tratar o problema e solucioná-lo de uma vez por todas.

Gostou deste artigo? Conseguimos esclarecer as suas dúvidas sobre a dor no maxilar? Caso ainda tenha algum questionamento, sinta-se à vontade para deixar um comentário no espaço abaixo.

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário