Guia completo da anatomia da ATM

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

A anatomia da ATM é considerada a mais complexa do corpo humano. Por isso, conhecer e saber como lidar com lesões e disfunções nessa parte do organismo é um desafio para os dentistas.

Quando um paciente sofre alguma disfunção na ATM, ele pode sentir muitos incômodos e dores diárias, na cabeça e no pescoço.

É interessante destacar que, inicialmente, as dores não ocorrem nos dentes. Por isso, quando estão sentindo dores relacionadas à anatomia da ATM, os pacientes acabam procurando um médico e não o dentista.

Na maioria dos casos, são os médicos, após diagnosticarem o quadro de anatomia da ATM, que encaminham os pacientes para uma consulta com o dentista.

O que é a ATM?

A Articulação Temporomandibular (ATM) é a parte do corpo que liga diretamente o osso da mandíbula ao osso do crânio, possibilitando que possamos fazer movimentos para falar e comer.

Os músculos da ATM são os responsáveis pelo controle de todos os movimentos maxilares. Ou seja, se existir algum problema nessa parte do corpo, a pessoa poderá ter comprometida funções básicas, como a alimentação e a comunicação.

É por isso que as lesões na ATM devem ser tratadas rapidamente, para evitar que se agravem e causem problemas maiores para os pacientes.

anatomia da atm

Por que é importante conhecer a anatomia da ATM?

Para os dentistas, conhecer sobre a anatomia da ATM é muito importante, tendo em vista que é necessário fazer as abordagens para diagnóstico e tratamentos corretos nos pacientes.

Já para os pacientes, conhecer sobre a anatomia da ATM também é interessante. Dessa forma, se vierem a ter algum problema nessa região, saberão que necessitam procurar ajuda profissional.

Como funciona cada estrutura da anatomia da ATM?

Como comentamos, a anatomia da ATM é a mais complexa do organismo. Ela faz movimentos de rotação e translação, que garantem a abertura e o fechamento da boca, por exemplo.

Para que isso aconteça, a anatomia da ATM se divide em diferentes estruturas. A seguir, falaremos brevemente sobre cada uma delas.

Fossa mandibular ou glenoide

A porção mais profunda do osso temporal é chamada de fossa mandibular ou glenoide. Essa estrutura da ATM é formada por uma camada fina de um osso compacto.

O osso, por sua vez, é revestido por uma fina camada de fibrocartilagem.

Protuberância articular ou eminência

A protuberância articular, também chamada de eminência, é formada por um osso com aspecto esponjoso, que recebe uma cobertura de outro osso fino.

A estrutura é coberta, em sua totalidade, por fibrocartilagem.

Côndilo mandibular

A anatomia da ATM também conta com um detalhe anatômico formado por uma ossificação endocondral, composta por um osso esponjoso e uma cobertura de osso cortical.

Esse detalhe recebe o nome de côndilo mandibular e tem uma espessura que varia conforme cada pessoa.

Disco articular

Uma das principais partes da anatomia da ATM é o disco articular, que é formado por uma estrutura fibrocartilaginosa e bicôncava.

Esse disco tem o objetivo de proteger o contato das demais superfícies quando a mandíbula é articulada. Além disso, ele também amortece eventuais choques e regula os movimentos.

Zona bilaminar

A zona bilaminar é formada por um tecido conjuntivo frouxo, que se localiza na porção posterior do disco articular.

Essa parte da articulação da ATM é muito rica em fibras nervosas e vasos. Por isso, os dentistas precisam ter muito cuidado ao realizar qualquer procedimento no local.

Cápsula articular

A anatomia da ATM é revestida por um tecido conjuntivo chamado de cápsula articular.

O tecido protege e limita os movimentos do côndilo. Dessa forma, ele se mantém maleável para que todos os movimentos necessários sejam realizados.

Líquido sinovial

Na ATM, também circula o chamado líquido sinovial, que se origina nas células sinoviais e tem uma consistência bastante viscosa.

A função do líquido é lubrificar todas as superfícies articulares, aumentando a eficiência da movimentação e reduzindo as erosões no local.

Ligamentos

A anatomia da ATM conta também com vários ligamentos de tecidos conjuntivos colagenosos, que se tornam limitadores da função articular.

Os ligamentos são responsáveis por segurar a ATM e se classificam em três categorias:

  • os colaterais;
  • os capsulares; e
  • os temporomandibulares.

Vascularização

Finalmente, a última estrutura da ATM é a de vascularização. Ela é composta por ramificações das artérias maxilares-internas e pelas temporais-superficiais, que irrigam a parte posterior da cápsula.

Ao mesmo tempo, pequenos ramos da artéria entram na região anterior para fazer a penetração.

Para analisar a anatomia da ATM dos pacientes, é importante que os dentistas solicitem exames de imagem. Assim, é possível verificar todos os detalhes das estruturas e fazer diagnósticos corretos.

Este conteúdo foi interessante para você? Então, assine a nossa newsletter e receba no seu e-mails mais artigos sobre odontologia. Temos certeza de que as nossas produções serão bem úteis!

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário