7 dicas práticas para conquistar a saúde financeira do consultório odontológico

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Ei, dentista, você já parou para pensar em como anda a saúde financeira do consultório odontológico? Assim como faz com a boca dos seus pacientes, é importante buscar meios para garantir que tudo esteja em ordem na clínica.

Dessa maneira, você garante que o seu negócio se mantenha lucrativo e consegue investir mais em ações para conquistar novos pacientes e crescer ainda mais.

Preparamos este conteúdo para apresentar uma série de boas práticas para que você, dentista, consiga proporcionar uma boa saúde financeira do consultório odontológico. Vamos lá?

Veja as nossas 7 dicas para garantir a saúde financeira do consultório odontológico

saúde financeira do consultório odontológico

Pronto para melhorar a saúde financeira do consultório odontológico? Então, siga a leitura e confira agora mesmo as nossas dicas!

1. Faça o fluxo de caixa corretamente

O fluxo de caixa é a ferramenta de controle financeiro mais importante para os consultórios odontológicos. É por isso que os dentistas empreendedores precisam dedicar o máximo de atenção a ela.

A ideia é que sejam registradas todas as entradas e saídas de dinheiro do consultório. Além disso, esses valores devem ser classificados em categorias, como as despesas fixas e variáveis.

As despesas fixas são aquelas que ocorrem todos os meses, como o pagamento dos funcionários, o aluguel da sala, entre outras. Já as despesas variáveis são aquelas que acontecem eventualmente, como o valor pago para arrumar um equipamento que estragou.

Dessa forma, fica mais fácil analisar gastos que podem ser cortados para sobrar mais dinheiro e aumentar a lucratividade da clínica.

2. Defina um salário para você

Um erro cometido por muitos dentistas empreendedores é pensar que o caixa da clínica é sua conta-corrente. Isso é errado e faz com que o seu negócio não tenha a possibilidade de crescer.

Você não pode ficar toda hora tirando dinheiro do caixa da clínica para pagar despesas pessoais, como as contas da sua casa, uma ida ao cabeleireiro, a compra de um lanche na padaria no intervalo do trabalho etc.

É importante que você defina um salário para você, o que chamamos de pró-labore. Dessa forma, você terá um valor fixo para ser retirado  por mês, como se fosse um funcionário.

O dinheiro que sobrar no caixa da clínica, depois de todas as contas serem pagas, deve ser investido no negócio. Você pode usá-lo para melhorar as suas estratégias de marketing, comprar equipamentos novos, renovar a recepção ou sala de espera etc. 

3. Conte com colaboradores qualificados

É importante contar com profissionais qualificados para ajudar você, principalmente se não tiver muita experiência com administração de empresas.

Ao buscar por uma secretária, por exemplo, pode dar preferência para as candidatas que tiveram graduação ou curso técnico na área de administração. Dessa forma, você terá alguém para auxiliar nas atividades mais burocráticas.

Porém, não deixe tudo na mão de terceiros! O dentista empreendedor, além de odontologia, também deve estar sempre de olho nas áreas que envolvem uma empresa, como contabilidade, marketing, planejamento estratégico etc. 

4. Tenha um fundo de reserva

É de extrema importância que você tenha um fundo de reserva, ou seja, um valor que sirva de capital de giro para quando a clínica tiver algum problema.

Imagine, por exemplo, que o equipamento de fazer exames de imagem estraga. Como é fundamental para o seu trabalho, o conserto precisa ser feito de maneira imediata.

Logo, para manter a saúde financeira do consultório odontológico, é importante que você tenha uma espécie de poupança, para que possa recorrer em situações de emergência como essa.

5. Use um sistema de gestão

Manter todo o controle em livros impressos ou em ferramentas obsoletas, como o Excel, é um problema para o seu consultório. Isso porque, ao usar esses recursos mais manuais, a possibilidade de ocorrerem erros nos cálculos não é pequena.

Hoje em dia existem muitos softwares bons, que fazem o gerenciamento financeiro da clínica de forma correta e automatizada. Esse, sem dúvida, é um investimento que vale bastante a pena.

6. Conte com parceiros especializados

É importante ainda que você também conte com parceiros especializados para ajudar nas diferentes áreas que envolvem a gestão de um negócio.

Uma agência de comunicação, por exemplo, pode ficar a cargo de fazer as suas campanhas de marketing e tornar a clínica mais conhecida.

Já a parte contábil, que geralmente é bem complicada e burocrática, deve ficar nas mãos de um bom escritório de contabilidade. Isso evita, inclusive, que você pague mais impostos do que deve.

Enfim, para cada área em que não domina, busque por um parceiro estratégico que possa ajudar.

7. Leia muito sobre gestão para melhorar a saúde financeira do consultório odontológico

É importante que você sempre estude e leia bastante sobre gestão, para que possa ter insights sobre como conquistar a saúde financeira do consultório odontológico.

Você pode ficar sempre de olho nas publicações do nosso blog, de outros canais para dentistas, buscar livros especializados etc.

Uma obra que recomendamos, inclusive, é “O segredo de Luísa”, de Fernando Dolabela. O livro traz em forma de romance a história de uma estudante de odontologia com uma forte veia empreendedora. No decorrer da trajetória da personagem, várias lições são ensinadas.

Coloque em prática as nossas dicas e conquiste a saúde financeira do seu consultório! Esperamos que nosso conteúdo tenha sido útil e interessante.

Continue aprendendo! Acesse agora o nosso guia completo sobre imposto de renda para dentistas!

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário