Dicas para aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter

Aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos pode ser um grande desafio para os dentistas. Afinal, nem sempre os pequenos se sentem seguros e confortáveis para receber o anestésico.

Muito pelo contrário, as crianças podem ter medo, chorar, sentir insegurança ou não ficarem quietas para que a aplicação seja realizada.

Por isso, o dentista quase que precisa assumir um “papel de psicólogo” e tranquilizar os pequenos. Somente assim será possível aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos com segurança.

7 dicas e ideias para aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos

Para que você tenha mais sucesso ao aplicar anestesia em pacientes pediátricos, reunimos uma série de dicas e ideias. Confira!

aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos

1. Converse com a criança

O primeiro cuidado que o dentista deve ter é conversar com a criança e explicar de forma lúdica e didática o que vai acontecer.

Diga que a anestesia é uma “picadinha” necessária e que precisa ser feita para que ela não sinta dor no procedimento que será realizado.

Comente que não é necessário ter medo e conte como será a sensação que ela sentirá ao fazer a anestesia.

2. Utilize um anestésico local antes da injeção

Antes de aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos, passe um anestésico no local da injeção.

Existem diversas opções em pomada ou gel, inclusive com sabores de frutas, que ajudam a amortecer a gengiva, para a anestesia não doer.

3. Considere a sedação consciente

A sedação consciente é um processo em que a criança inala um gás por meio de uma máscara nasal. 

O gás mantém o paciente consciente, porém relaxado. Essa pode ser uma opção interessante para crianças com elevados níveis de estresse ou ansiedade, bem como para quem tem fobia de agulhas.

4. Converse com a criança usando uma linguagem simples

Termos muito técnicos da Odontologia podem ser de difícil entendimento até mesmo para os adultos que não trabalham nessa área. Logo, utilizá-los com crianças não é nada recomendável.

Você deve conversar com a criança usando uma linguagem simples, lúdica e de fácil entendimento. 

Se você for especialista em odontopediatria, convém decorar o seu consultório com brinquedos e personagens que as crianças gostem, como os super-heróis. Inclusive, bonecos podem ser usados para demonstrar como a aplicação da anestesia será realizada.

5. Permita que os pais entrem no consultório com a criança

As crianças vão ao dentista acompanhadas pelos pais ou responsáveis. Assim sendo, convém que eles possam entrar na consulta e acompanhar o procedimento.

Certamente, os pequenos se sentirão mais seguros se puderem segurar a mão do pai ou da mãe enquanto o dentista aplica a anestesia e faz todo o procedimento necessário.

6. Jamais minta para a criança

O dentista jamais deve mentir para a criança e falar que a anestesia “não vai doer nada”, sendo que sim, há a possibilidade dela sentir dor.

Se você falar para a criança que ela não sentirá dor e ela sentir, ela perderá a confiança adquirida, se sentirá traída.

Isso pode mexer com o psicológico das crianças, que poderão carregar traumas e medo de dentista para o resto da vida. Por isso, jamais conte mentiras! A sinceridade é sempre o melhor caminho.

7. Posicione o paciente de forma estratégica

Para aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos, uma boa prática é posicionar a cabeça da criança para cima, evitando que ela tenha a visão dos materiais.

Também é uma boa ideia usar um rolinho de algodão para cobrir a agulha e retirá-lo quando ela estiver próxima à boca. 

Isso evita que a criança veja a agulha e se sinta amedrontada, iniciando uma crise de choro que impossibilite o procedimento.

A anestesia em crianças, vale lembrar, apenas é necessária em casos de tratamentos mais dolorosos. Por isso, quanto mais cedo os pais buscarem esse tipo de atendimento, melhor. 

Assim, se evitam agravamentos no quadro clínico das crianças, evitando que seja necessária a realização da anestesia. Os dentistas podem usar as redes sociais e outros meios de comunicação para conscientizar os responsáveis sobre isso.

Coloque as nossas dicas em prática e tenha sucesso ao aplicar anestesia em pacientes pediátricos odontológicos. 

Mais conteúdos interessantes sobre Odontologia podem ser encontrados em nossas mídias sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Instagram e no YouTube.

Seja um Dentista Parceiro!

TALVEZ VOCÊ GOSTE TAMBÉM

Deixe um comentário