Blog

HomeDicasOs dentinhos e alguns cuidados

Os dentinhos e alguns cuidados

Cuidar das nossas crianças é uma das sensações mais maravilhosas que existem, não é mesmo? Além disso, só quem é pai ou mãe sabe quão grande é a preocupação com o bem estar de um bebe. Tendo isto em mente, separamos algumas dicas da odontopediatra, Lilian Pilegi, para um crescimento bucal saudável nos primeiros anos de vida dos pequeninos:

A saúde bucal da mãe influencia sua gestação?
Sim, a saúde bucal da mãe influencia a saúde bucal do bebê. Durante a gestação, a mãe pode procurar pelo pré-natal odontológico e receber cuidados e orientações, já que a doença periodontal durante a gestação está relacionada a parto prematuro e a bebês de baixo peso.
Qual a idade recomendada para que o bebê faça sua primeira visita ao odontopediatra?
O primeiro atendimento do bebê deve acontecer por volta dos 6 meses de vida, com a chegada do primeiro dentinho de leite.

Os danos provocados pela chupeta são reversíveis?
Chupeta, mamadeira e dedos na boca, respiração bucal, genética, perdas precoce de dentes, entre outros, são fatores que podem prejudicar os dentes das crianças. No entanto, não é regra que toda criança tenha os dentes tortos por causas desses hábitos. A remoção dos hábitos deve ser feita na idade adequada. Quando chupa o dedo, a criança utiliza grande força; e, por estar sempre disponível, sua eliminação é difícil.

Antes da chegada dos dentes, é preciso realizar a higiene bucal do bebê?
Quando a alimentação é com leite artificial e já há dentinhos, recomenda-se a limpeza da boquinha com gaze ou fralda de algodão molhada em água filtrada. Mas, quando ainda não há dentes e a amamentação é exclusiva, esse cuidado não precisa ser constante, graças à presença de imunoglobulinas do leite materno, que fazem um trabalho de proteção.

E quando chegam os dentinhos?
Com a chegada da primeira dentição, que acontece por volta dos 6 meses, já é o momento de escovar. Quando o dente está na cavidade bucal, já pode ser colonizado por bactérias causadoras da doença cárie. Se a escovação e o controle da ingestão de carboidratos fermentáveis não acontecem, a cárie aparece. Nessa fase, usamos escovas apropriadas e menores do que as escovas infantis convencionais, com cabeça bem pequena, cerdas extremamente macias e cabo longo para a mãe segurar. Introduzimos o uso de fio ou fita dental com a chegada dos molares decíduos (de leite), por volta dos 2 anos e meio, no intuito de oferecer adaptação e formação de hábito de higiene em áreas que a escova não alcança.

É comum que o bebê sinta dor com o nascimento dos dentes? O que fazer para aliviar?
Com o nascimento do dente decíduo, ocorre uma pequena inflamação local, totalmente natural e fisiológica. Alguns sintomas, como coceira na região, vermelhidão e febre baixa, são decorrentes dessa inflamação local. Alguns bebês apresentam mais, e outros não têm esses sintomas. Os mordedores podem auxiliar a aliviar a coceira dessa inflamação local. Recomendamos aqueles mordedores que podem ser colocados na geladeira, pois, quando gelados, aliviam ainda mais o desconforto. Porém, é importante redobrar o cuidado com a higiene, pois é comum o bebê utilizar brinquedos, alimentos, objetos variados, a própria mãozinha e o que mais encontrar pela frente para aliviar a coceira da inflamação local. Assim, podem adquirir viroses ou infecções secundárias, que causam diarreia ou febre alta.

Como higienizar bem os dentinhos da criança?
Escovar os dentes não machuca e não dói. A higiene oral é essencial para um bom desenvolvimento da saúde, assim como tomar banho e lavar as mãos. Algumas crianças choram, pois não querem parar de brincar para escovar os dentes ou porque não têm o hábito de ter a boca manipulada. Por isso, os pais devem fazer isso de forma tranquila e carinhosa, mas não devem ceder à resistência da criança. A dica é consultar um odontopediatra que, para cada idade, ensina técnicas corretas e transmite segurança aos pais, oferecendo estímulos à criança para desenvolver a rotina.
Os dentes de leite geralmente nascem mais separados. Isso significa que os permanentes também serão assim?
A dentição decídua apresenta espaçamentos que são altamente favoráveis para o alinhamento dos dentes permanentes, principalmente os anteriores. A partir dos 6 anos de idade ocorre um crescimento das bases ósseas, que acontece com a chegada da dentição permanente. Esse crescimento, porém, não é suficiente para compensar a maior largura dos permanentes, daí a importância dos espaços na dentição decídua.

Gostou das dicas?
Esperamos que tenham ajudado de alguma forma. Afinal de contas, conhecimento é sempre bem-vindo, certo?

A Dra. Lilian Pilegi é cirurgiã-dentista graduada em odontologia pela FORP/USP (Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto) e atua como especialista em Odontopediatria.
Via Mamãe e Bebe

Written by

The author didnt add any Information to his profile yet

Deixe um comentário

×